Impressão 3D auxilia no pré-operatório e diagnósticos

Tempo de leitura: 3 minutos

Entenda no post de hoje como a impressão 3D conseguiu trazer exames para o meio real e como isso impacta em análises pré-cirúrgicas conhecendo o caso da Casa da Saúde São José!

Atualmente hospitais sofrem com cirurgias muito longas e de inúmeros riscos. Dados fornecidos pela ANS(Agência Nacional de Saúde Suplementar) apontam que a taxa de mortalidade em procedimentos cirúrgicos varia dependendo do grau de gravidade dos pacientes, sendo do mais leve grau sua  taxa chega a alcançar 0,1% até o mais grave paciente, onde a taxa chega a alcançar dentre seus 9,4% até 100%.

Contudo, a impressão 3D acaba traz  a premissa de reduzir esse mal com a possibilidade do planejamento pré-cirúrgico e diagnóstico mais precisos e intuitivos, por consequência diminuindo os riscos e facilitando o procedimento cirúrgico.

O hospital Casa de Saúde São José no Rio de Janeiro, utiliza de seu setor de radiologia para a partir de tomografias,ressonâncias magnéticas e ultrasons criar formas 3D desses exames e com isso fazer análises e planejamentos mais precisos do estado dos respectivos pacientes.

Esses exemplares auxiliam além da análise situacional dos pacientes, na didática e comunicação com o enfermo.

pré-operatório com impressão 3D
“A gente pode imprimir o coração com as artérias coronárias, você pode imprimir o crânio. Dentro do crânio, você pode imprimir o cérebro também. Você pode imprimir os pés” comenta Dr.Henrique

O cardiologista Dr.Henrique Arume Guenka afirma que com a possibilidade de médicos conseguirem visualizar os procedimentos, possibilitam a identificação de qualquer possível problema com o paciente, prevenindo maiores riscos para o mesmo.

Isso torna possível programar melhor a cirurgia, e garante uma taxa de sucesso cada vez maior, por consequência, isso alavanca uma recuperação mais rápida, num tempo de cirurgia otimizado com menores incisões. Esses modelos representativos impressos em 3D podem ir de simples moldes dentários até artérias do coração ou até mesmo um bebê ainda dentro da mãe, e trazem nova dimensão a visualização pré-operatória.

bebê-dicom
Utilizando arquivos do tipo DICOM, toda a geometria da área analisada pode ser transformada em um modelo físico.

O Pré-operatório

No período pré-operatório o cirurgião ortopedista realiza o planejamento do procedimento cirúrgico utilizando as radiografias do paciente. Isto auxilia na definição da estratégia cirúrgica e na escolha do material a ser empregado. Essa etapa serve de preparação mental para o cirurgião e a identificação prévia de possíveis dificuldades a serem enfrentadas durante o procedimento. E em casos de próteses, desenhos esquemáticos juntamente com programas de computadores são usados para então projetar a futura prótese e sua implementação.

O período pré-operatório é fundamental para que uma cirurgia transcorra de maneira segura. Também é o melhor momento para explicar ao paciente como será o procedimento e a reabilitação, tornando o processo menos estressante.

A visualização de projetos executados pelo médico, prévio à cirurgia e esquematizações em 3D geram tanto uma confiança no médico quanto auxiliam no relacionamento médico-paciente. Não mais se entende o procedimento por gráficos recriados por computadores (que podem ser muito abstratos para o paciente comum), em seu lugar podemos oferecer um modelo tangível que exemplifica de forma simplificada não só o processo cirúrgico, como também evidenciam os pontos da recuperação e pós-operatório.

Para ver na íntegra como a Casa da Saúde São José aplicou esta incrível tecnologia, acompanhe a reportagem que foi ao ar no Jornal Nacional abaixo:

Veja o vídeo!

Quer ver mais aplicações incríveis da manufatura aditiva no Brasil e no mundo? Assine nossa newsletter e garanta seu futuro mais presente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *